sábado, 4 de setembro de 2010

novo momento

Eu não consigo lembra um dia de ter deixado de acreditar quanto é bom viver e nem do quanto é importante e sonhar. Junto sempre tem as lamurias, chororós , mas faz parte.
Numa desta tardes lidas e frescas de final de inverno entre a natureza, a cama e o computar esperando a pneumonia acabar, sofrendo mais com a falta a meus compromissos do que com a doença, repasso um e-mail sobre o roubo dos ovos das tartarugas das margens do Rio Solimões - um crime - voltando a linda tarde de inverno de 32 graus de nosso país pensei, hoje eu não vou fazer mais nada. Só esperar a tarde findar a noite chegar respirar o pouco do ar que consigo ao lado do Halph minha única e querida companhia deste sábado à noite tão preguiçoso quanto nós.

UM DOS DIAS MAIS FELIZES DA MINHA VIDA
Ah, acabou uma etapa da minha vida, ainda não sei o que mudará daqui pra frente, mas sei que vai mudar

Nenhum comentário:

Postar um comentário