domingo, 16 de março de 2014

Meu canto.

No céu a lua cheia. No ar um cheiro de dama da noite, são 20 a desabrochar nesta noite, o boldo é do Chile e infesta o quintal.
 Folhas novas brotam da grumixama, orquídeas lutam para sobreviver enquanto as pragas e as trepadeiras vão ocupando todos os cantos. DAS MANGAS NEM O CHEIRO.  Um homem me cuida. A dúvida agora, o estampido da rolha ou estalo da tampinha.
Quem sabe o explodo do uísque quente na pedra de gelo. Não é só uma escolha.
Escrevo e leio, nem paro de olhar o florescer das flores, agora mais abertas. Escrevo do meu mundo redondo nas linhas certas, mesmo que tortas.
Por fim vence o chá de abacaxi gelado e o cigarro de palha.  
A leitura, Leonardo Boff “O cuidado Necessário”... O cuidar do envelhecer.
O movimento é o da brisa entre os sinos a badalar... O gosto é do prazer.

2 comentários: